[ editar artigo]

ATP e sistemas de energia do corpo

ATP e sistemas de energia do corpo

Você pode potencializar a produção de energia através dos sistemas de energia do corpo. Ajustando sua dieta para que fique adequada com seu programa de exercícios seu metabolismo será turbinado para que queime mais gordura e facilite o crescimento muscular.

O trifosfato de adenosina (ATP) é a molécula que leva energia para o corpo. É usada como fonte de combustível pelas fibras musculares para produzir energia.
As principais preocupações no treinamento deveriam ser com a quantidade de energia ATP que o corpo vai precisar, a velocidade com que essa energia vai ser restaurada depois de esgotada e se o organismo apresenta as condições metabólicas necessárias para esse processo.

Os sistemas de produção de energia que seu corpo irá utilizar durante o treinamento são:
⦁    Sistema Fosfogênico
⦁    Sistema Glicolítico
⦁    Sistema Oxidativo


SISTEMA ATP-CP
 É um sistema de energia anaeróbia, que não utiliza oxigênio. É um sistema que é utilizado em atividades de potência e explosão, que tem duração curta de até 10 segundos. O reabastecimento dos estoques de fosfagênio é geralmente um processo rápido, com 70% de sua restauração em 30 segundos e completa em até 5 minutos.

SISTEMA GLICOLÍTICO
Também é um sistema que não depende do oxigênio, utilizado como fonte principal em atividades com duração entre 20 segundos á 2 minutos. O combustível vem da quebra de glicose no sangue e do glicogênio armazenado. Inicialmente a energia é fornecida pela glicólise rápida que gera ácido lático como resultado do metabolismo.

Quando a atividade alcança 2 minutos acontece a glicólise lenta. O acúmulo de ácido lático é maior nas sessões repetidas de exercício de alta intensidade, especialmente aquelas com pouco descanso.

Em todas as atividades físicas utilizamos todos os sistemas de energia, porém dependendo de qual for a intensidade ou a solicitação do treino será usado um sistema predominante.

 Exemplo: numa corrida os primeiros 10 segundos solicitam o sistema de fosfato, conforme a intensidade alta se mantém e vai chegando a 1 minuto de duração automaticamente o organismo começa a utilizar glicose no metabolismo e se o esforço se mantém é solicitada a gordura como combustível (quando o exercício vai se estendendo para cerca de 1 minuto, 70% da demanda é anaeróbica, mas se chegar ao 4 minutos, 65% da demanda será aeróbica).

 SISTEMA OXIDATIVO
Também utiliza glicose no processo, só que a diferença é a presença de oxigênio. Este sistema não produz ácido lático e utiliza gorduras na produção de ATP, a duração do esforço deve ser acima de 2 minutos até 3 horas e manter a intensidade de baixa a moderada. Em repouso o sistema oxidativo utiliza cerca de 70% de seu rendimento de ATP da quebra de gorduras e 30% de carboidratos.

CONCEITO CROSSOVER (BROKS e COLEGAS)
O exercício de intensidade mais baixa recebe seu ATP primariamente da quebra de gorduras e de alguns carboidratos. Quando a intensidade aumenta, a quantidade de carboidrato utilizada aumenta enquanto a utilização de gorduras diminui.

Este entendimento é importante para saber que sistema utilizar para cada tipo de objetivo físico, tanto para a perda de peso utilizando a gordura como fonte de energia, assim como para não atrapalhar o desempenho de um exercício físico específico. No caso de levantamento de peso, que é uma atividade de predominância de potencia, utilizar muito treino aeróbico pode atrapalhar no desenvolvimento de força. Porém, como esta capacidade é necessária, podemos desenvolve-la a partir de treinos intervalados que terão o mesmo resultado de aumento da capacidade aeróbica e de VO2max, mesmo trabalhando de forma anaeróbia.


 

Referências: Dr. Nutrição,  CT Dominato Evoluções de Movimento.

Esporte & Movimento
Mayara Damasceno
Mayara Damasceno Seguir

Ler conteúdo completo
Indicados para você