[ editar artigo]

DESENVOLVIMENTO MOTOR EM TEMPOS DE PANDEMIA

DESENVOLVIMENTO MOTOR EM TEMPOS DE PANDEMIA

Ultrapassando os 15 meses de pandemia algumas questões começam a ser objeto de estudo, como é o caso do desenvolvimento motor das crianças e adolescentes.

Leia também: Influência do ciclo menstrual no rendimento feminino

Com a questão do distanciamento social, isolamento, aulas online e tudo que envolve a pandemia, na maioria dos casos as crianças e adolescentes estão enfrentando esse período com menos espaço físico para se locomoverem, privação de estímulos para se desenvolverem fisicamente e tornando-se mais sedentários.

O desenvolvimento motor é o processo de mudança no comportamento, relacionado com a idade, tanto na postura quanto no movimento da criança. É um processo de alterações complexas e interligadas das quais participam todos os aspectos de crescimento e maturação dos aparelhos e sistemas do organismo, sendo divido em quatro fases: fase motora reflexiva, fase motora rudimentar, fase motora fundamental e fase motora especializada.

Cada fase necessita de estímulos adequados para que a criança e adolescente tenha pleno desenvolvimento de suas funções motoras. O fato de serem privados desses estímulos terão consequências pós-pandemia ainda não mensuradas. 

Leia também: Atividade física para crianças e adolescentes em tempos de pandemia

Em recente estudo foram comparadas as habilidades motoras de crianças que continuaram praticando atividades físicas desde o início da pandemia com as que não conseguiram se manter ativas durante esse tempo. Os dados obtidos pelo teste das habilidades motoras concluiu que os alunos que se mantiveram na escolinha de futebol desde o início da pandemia obtiveram resultados superiores aos alunos que retornaram há menos de dois meses para as atividades da mesma. (fonte:https://revistaanais.unicruz.edu.br/index.php/sef/article/view/807)

Portanto, duas questões devem ser levantadas: a importância dos pais estimularem seus filhos em casa e os cuidados e compreensão que os professores de educação física necessitarão no retorno das atividades.

Os adultos que convivem com a criança em casa precisam estimulá-la com jogos, brincadeiras, escrita, quase como se estivessem presencialmente na escola. Podem criar o quarto da brincadeira ou reservar um espaço provisório na sala para que a criança circule, corra, desenvolva-se sem medo até que haja o retorno à normalidade.

Leia também: Educação Física e a Pandemia: Muito além do esporte

Os professores de educação física, ao receberem as crianças e adolescentes novamente nas escolas precisam avaliar a situação de cada aluno de forma individual e analisar os padrões de cada fase de desenvolvimento, para que se possa definir até que ponto aquele aluno foi afetado sua forma física e até onde ir no quesito exigência de performance.

É de extrema importância que a criança e o adolescente não deixem de praticar alguma atividade física, lúdica, independente do local ou situação, sob pena de comprometimento real das habilidades necessárias para sua vida adulta. 

 

 

Esporte & Movimento
MELL PORTO
MELL PORTO Seguir

Entusiasta da vida leve. Advogada por profissão. Graduanda em Educação Física por paixão. Inspira e vai!

Ler conteúdo completo
Indicados para você