[ editar artigo]

Efeitos do DESTREINAMENTO e a (falta de) ENGAJAMENTO em nossos alunos

Efeitos do DESTREINAMENTO e a (falta de) ENGAJAMENTO em nossos alunos

Muito se fala sobre a queda de rendimento após um afastamento, voluntário ou não, dos treinos, mas será que de fato sabe-se o que ocorre com nosso aluno quando ele para de treinar?  

Leia também: OS BENEFÍCIOS DO TREINAMENTO RESISTIDO

Primeiro vamos definir "O que é destreinamento":

Reversão total ou parcial dos resultados adquiridos com treinamento. 

A dificuldade que existe para começar a treinar e ter resultados não é proporcional com a facilidade com que se perde os ganhos conquistados com muito suor.

O que aconteceu no que se diz respeito à DESTREINAMENTO (1) após PAUSA CURTA (4 semanas ou menos)?

RESISTÊNCIA

Para quem estava treinando há pouco tempo, não notará tanta diferença, mas quem já estava há mais tempo, notará uma diferença razoável.

MÚSCULO, FORÇA E FLEXIBILIDADE

Provavelmente perderá pouca ou nenhuma força muscular em menos de 4 semanas - atleta mais bem treinados tendem a sentir diferença - mas recupera-se rapidamente após voltar aos treinos, assim como o volume muscular que também pode reduzir um pouco por conta da retenção de água.

Quadril, tronco e coluna vertebral costumam perder  flexibilidade em um curto período de pausa.

E quanto ao DESTREINAMENTO (1) após PAUSA LONGA (mais de 4 semanas) ?

RESISTÊNCIA

Risco de voltar a "estaca zero", pois o funcionamento do sistema cardiorrespiratório voltará lentamente ao estado pré-treino.

MÚSCULO E GORDURA

Os músculos que o aluno tanto penou para desenvolver irão embora - não irão se transformar em gordura - simplesmente irão sumir. 

Como professor, treinador, é de nosso completo interesse conscientizar e informar os alunos sobre esses efeitos indesejados do destreinamento, por 2 grandes motivos (não necessariamente nessa ordem de importância):

 - Manter o aluno motivado a continuar treinando, reduzindo assim a perda de alunos, que não é nada interessante para nós;

 - Manter uma base de clientes consistente e que também poderá ser utilizada como marketing do nosso trabalho.

Quais tipos de informações extras podemos dar para nossos alunos?

Muitas vezes o aluno resolve parar de treinar sem um grande motivo específico e sim pela junção de pequenas coisas, que em muitos casos, não coincidem com os fatos, como falta de motivação, falta de resultados, falta de tempo etc.

Mas e quando o aluno se lesionou e não tem mesmo como continuar treinando? 

Conforme orientação médica, indique alguma outra modalidade alternativa para esse aluno, mesmo que não seja com você - não é porque ele não irá ter que parar de treinar por um tempo com você que você irá simplesmente abrir mão e abandonar esse aluno - se você fez um bom trabalho e o aluno gosta e confia em você, ele irá voltar a te contratar assim que possível.

Leia também em: Produção de energia no treino - você prescreve pensando nisso?

Dicas nutricionais

Informe ao seu aluno que ele precisa ingerir uma quantidade suficiente de proteínas para retardar o processo de perda de massa muscular e conseguir minimizar os efeitos negativos do destreinamento. 

Importante lembrar que a "memória muscular" é real e quanto mais tempo de treino tiver, menores serão as dificuldades encontradas para retomar a boa e velha forma, ou pelo menos chegar próximo de - fato esse que irá variar muito por conta de idade, tempo parado, gênero e tipo de atividade.

E sobre (falta de) engajamento?

Dentro da minha experiência de mais de 15 anos no universo fitness - como aluno e como professor - o que eu mais noto, descartando problemas médicos, que fazem os alunos desistirem de um programa de treinamento com personal trainer é falta de engajamento. E como você, como coach, pode manter e/ou aumentar o engajamento deste aluno?

1 - Deixando visível, por meio de avaliações físicas, o quanto esse aluno evoluiu após ter começado a treinar com você - seja uma melhora em sua composição corporal, melhora psicológica, melhora para executar as tarefas diárias como subir escada, caminhar até o mercado e etc. O aluno precisa ter a percepção de evolução e que você foi o grande responsável por isso;

2 - O aluno precisa enxergar você como um amigo, uma pessoa em que ele pode confiar e não apenas alguém que ele paga e só pode contar com você para isso - não estou dizendo para ficar à disposição 24/7, mas, sempre que possível, se mostrar disposto a ajudá-lo em outros âmbitos, seja recomendando um restaurante legal que você conheceu no fim de semana, indicando seu dentista de confiança, etc. É preciso de alguma forma estar sempre criando, por mais sutil que seja, o sentimento de gratidão, reciprocidade.

3 - Evitar ao máximo criar desconfortos sobre pagamento, reposições de aulas, pontualidade, e como fazer isso? Criando e expondo regras bem definidas logo no começo da relação para não gerar dúvidas e abrir margem para discussão.

Leia também: Emagrecimento: o que seu aluno(a) quer e o que precisa ouvir

Lembre-se bem:

É nosso papel manter o aluno engajado e fiel ao programa de treinamento, por isso a importância de ter uma visão macro da nossa relação para com nossos alunos.

 


Referência:

Mujika, I., Padilla, S. Detraining: Loss of Training-Induced Physiological and Performance Adaptations. Part II. Sports Med 30, 145–154 (2000). https://doi.org/10.2165/00007256-200030030-00001

Acesso em 01/07/2021 <https://pubmed.ncbi.nlm.nih.gov/10999420/>

 

 

Esporte & Movimento
Ler conteúdo completo
Indicados para você