[ editar artigo]

Ética e profissionalismo do educador físico

Ética e profissionalismo do educador físico

Em algum momento de nossas vidas, seja em nossa atuação profissional dentro de nossa casa ou no simples convívio social, assumimos um papel de liderança carregada de responsabilidades, holofotes direcionados a nós e grandes expectativas geradas por todos aqueles que confiam em nossas palavras e atitudes.

Nós, profissionais de educação física, temos este papel de liderança ainda mais evidente, uma vez que nossos clientes entregam em nossas mãos metas ambiciosas, ou simplesmente o cuidado com sua saúde. Para que nosso trabalho seja bem sucedido, fatores associados à prescrição do treinamento precisam ser levados em consideração, como a injeção de motivação, o reforço da disciplina e regularidade e adoção de bons hábitos de vida.

Não podemos deixar de lado princípios éticos básicos, como o respeito, o cumprimento de regras, a tolerância, a educação, entre diversos outros. Devemos nos policiar para não confundir o trabalho com diversão, ou uma grande aventura, uma vez que a saúde e bem-estar de pessoas estão em jogo.

É necessário ter em mente que a liderança não pode ser confundida com poder e o abuso dele, além disso, todas nossas ações acabam sendo observadas e julgadas, ainda mais com a alta exposição nas redes sociais. Qualquer movimento em falso acaba viralizando e podendo destruir nossa carreira em questão de minutos.

A informalidade e o crescimento desestruturado de nossa profissão é um potencializador da subvalorização do nosso trabalho, da visão destorcida do cliente sobre a qualidade dos serviços oferecidos, do não investimento de grandes empresas e investidores em nosso setor, exceto os esportes midiáticos, e de não possuir órgãos e entidades fiscalizadoras sérias.

Com base neste cenário, se cada um não de nós não fizermos nossa parte, levando a sério a profissão com base nos princípios éticos, responsabilidades e seriedade, andando conforme as regras e leis, gerando uma influência positiva, elevando o nível técnico da área, continuaremos por muitos anos dando murro em pedras e reclamando que a educação física não é uma profissão bem remunerada e valorizada.

Bora pra cima!

Esporte & Movimento
Rodrigo Lobo
Rodrigo Lobo Seguir

Bacharel em Educação Física EEFE-USP Diretor e treinador da Lobo Assessoria Esportiva Corredor e Triatleta há mais de 20 anos. Palestrante de temas relacionados à saúde, qualidade de vida, corrida de rua e triathlon. CREF: 051186-G/SP

Ler conteúdo completo
Indicados para você