[ editar artigo]

Faixas elásticas vieram para ficar na rotina de treinos

Faixas elásticas vieram para ficar na rotina de treinos

O período da pandemia trouxe à tona um acessório de treino que era mais comum ser utilizado em exercícios para prevenir lesões ou ajudar em processos de reabilitação: a faixa elástica.

Leia também em: Mobilidade: a importância de trabalhá-la nos treinos

As thera bands trazem diferentes níveis de resistência e são acessíveis. Por causa da praticidade, começaram a fazer parte de treinos em casa e no trabalho, como forma de substituir pesos e aparelhos que ficaram inviabilizados com o isolamento social. As faixas também eram aconselhadas para aqueles alunos que precisavam viajar, mas não queriam ficar sem treinar. Levar as faixas na mala era uma opção para se exercitar e manter os grupos musculares ativos

As faixas elásticas foram desenvolvidas na Rússia no começo dos anos 1950 para o treinamento de atletas e como parte da reabilitação muscular, articular e dos tendões. Hoje, o elástico pode ser usado para exercícios de tonificação e resistência muscular localizada. Essas atividades fazem parte de treinos funcionais, ao adaptar exercícios de musculação. Além das faixas, existe a Mini Band (em formato circular, geralmente usada para exercícios de abdução de quadril, passadas laterais e abertura de braços), e o extensor, que traz garras para trabalhar os membros superiores.

O treino com elástico pode ser feito por pessoas de qualquer idade e diferentes tipos de condicionamento físico, basta utilizar a faixa com o nível de resistência adaptado. Cada aluno tem suas limitações e o uso das faixas possibilita controlar a tensão para determinados grupos musculares, desde a região dos glúteos e pernas, passando por braços e abdômen.

Leia também em: Dicas de segurança para o treino de força

É bom ficar atento à escolha do elástico, pois existem diferentes espessuras e comprimentos identificados por meio de cores. Com a faixa adequada, é possível montar um treino para trabalhar também maior amplitude dos movimentos e melhorar o alongamento. Mas atenção, o uso do elástico exige maior controle durante a execução dos movimentos. A firmeza e alinhamento no desempenho dos exercícios é essencial para evitar lesões musculares ou articulares.

Para se ter uma ideia sobre a efetividade, um estudo publicado pelo European Journal of Sport Science concluiu que o uso de elásticos pode aumentar a atividade muscular até 15% mais do que o treino com halteres. Além disso, a elasticidade da faixa também permite ativar músculos estabilizadores menores.

É preciso lembrar que o treinamento funcional envolve preparar o corpo para desenvolver capacidades funcionais necessárias às atividades da vida diária. A principal característica é que diversos músculos são estimulados no mesmo exercício, fortalecendo o corpo, melhorando a coordenação motora, desenvolvendo maior consciência corporal e ativando a performance em esportes como o futebol e lutas.

Portanto, as faixas thera band ou mini band, além dos extensores, vieram para ficar na nossa rotina de treinos funcionais, ainda que os alunos estejam voltando gradualmente para os treinos em academias.

Leia também em: Porque fazer ativações de ombro antes do treino?

O uso da resistência elástica permite a possibilidade de trabalhar com padrões de movimentos mais funcionais quando comparados às máquinas de musculação tradicionais, por exemplo. Além de ser uma opção prática e de baixo custo, o que facilita a introdução ao nosso ambiente profissional. 
 

Esporte & Movimento
Fabio Andrade Cruz
Fabio Andrade Cruz Seguir

Desde 2005, transformo meus clientes em versões mais saudáveis de si mesmos. Como Personal trainer, posso ajudar você a perder peso, desenvolver músculos, alcançar um melhor condicionamento e o mais importante, qualidade de vida.

Ler conteúdo completo
Indicados para você