[ editar artigo]

LGBTQIAP+ no Futebol, como incluir?

LGBTQIAP+ no Futebol, como incluir?

LGBTQIAP+ no Futebol, como incluir? | Esporte & Movimento

O futebol é um dos esportes que mais tem relação com a identidade nacional do povo Brasileiro, uma paixão inexplicável que é capaz de mexer até com o humor coletivo. Quem não lembra dos 7 a 1? Ou daquele jogo marcante do seu time (mesmo que você não acompanhe) contra o rival? Entretanto, esse esporte ainda é majoritariamente Masculino, Cis e Hétero, onde ainda se reproduz diversas violências machistas, misóginas, e é um ambiente profundamente LGBTfóbico. O resultado objetivo é que essa comunidade não se sente parte do futebol, muitos sequer como prática esportiva ou atividade física, tamanho o impacto da masculinidade tóxica que domina o futebol.

Existem algumas boas práticas que podem ser adotadas com intuito de buscar essa inclusão e combate a esse tipo de preconceitos, não só no futebol, mas em todos os esportes.

O primeiro passo: é de fundamental importância todos os profissionais compreenderem e dominarem a linguagem de comunicação básica com pessoas LGBTQIAP+. Entender a diferença entre gênero e sexualidade e demais expressões de diversidade como o gênero fluido e intersexualidade, pode ajudar a evitar situações cotidianas desconfortáveis e de conflito que acabam inibindo ainda mais a presença dessas pessoas. Recomendo a leitura do Manual de Comunicação LGBTi+ no link: https://www.grupodignidade.org.br/wp-content/uploads/2018/05/manual-comunicacao-LGBTI.pdf

Depois do conhecimento do básico podemos aplicar a cada realidade medidas cabíveis, como as que sugiro abaixo:

Combata as piadas preconceituosas mesmo entre pessoas héteros e quando não houver pessoas LGBTQIAP+ presentes, essa vigilância constante ajuda a combater o estigma reforçado em “piadas” que costumam ser reproduzidas nesses ambientes. Adolescentes e filhos de famílias homotransparental passam constantemente por esse tipo de coisa e precisam sempre de atenção especial.

Em algumas circunstâncias é possível criar protocolos de convivência coletiva, prevendo inclusive punições para determinados tipos de “violência simbólica”, em outros não, então requer o dobro de atenção do profissional envolvido na atividade/exercício.

ATENÇÃO: É preciso saber diferenciar quando uma “piada” solta se torna prática constante de Bullying que se caracteriza por agressões intencionais, verbais ou físicas, feitas de maneira repetitiva, muitas dessas práticas, hoje, podem ser consideradas crime.

Por isso é importante um momento de conscientização sobre o que é LGBTfobia e suas implicações, inclusive legais. Ela pode ser feita a partir de rodas de conversas, ações, campeonatos e partidas criativas trazendo de forma direta ou indireta a temática.

Bons momentos para fazer ações de afirmação e de orgulho são as datas do calendário LGBTQIAP+ (https://justica.sp.gov.br/index.php/coordenacoes-e-programas/coordenacao-de-politicas-para-a-diversidade-sexual/calendario-de-datas-afirmativas/)

Quando tiver dúvida sobre qualquer questão relacionada a esse universo, pergunte à pessoa em privado, sem constrangimentos, sem exposição e sem permitir que haja qualquer violação. É muito comum as pessoas terem dúvidas sobre como tratar pessoas LGBTQIAP+, e no caso das pessoas trans, acabam trocando os artigos e desrespeitando o nome social.

Nome Social - O nome social é aquele escolhido por travestis e transexuais de acordo com o gênero com que se identificam, independentemente do nome que consta no registro de nascimento.

Muito cuidado e acolhimento com pessoas Trans, sobretudo as que estão em Transição.

Placas e sinalizações demarcando “Aqui não toleramos LGBTfobia”, inclusive nos vestiários

Valorize o desenvolvimento dessas pessoas dentro da equipe, lidar com o preconceito faz com que seja duplicado o desafio de estar e se desenvolver nesses lugares.

Traga referências de esportistas LGBTQIAP+, ainda que sejam poucos e quase não tenham espaço nas equipes profissionais, sempre existe um referencial numa perspectiva de valorização. No caso do futebol é de fundamental importância lembrarmos das inúmeras jogadoras que são assumidamente lésbicas e ainda gozam de muitas desvantagens em relação ao futebol masculino.

E o que fazer em caso de violências? Compartilho mais um documento complementar construído pela ANTRA e ABGLT https://antrabrasil.files.wordpress.com/2020/03/cartilha-lgbtifobia.pdf

Estimule a participação de pessoas LGBTQIAP+ em jogos de futebol! É muito comum essas pessoas não se sentirem motivadas a participar dos jogos por não encontrarem um ambiente propício, mas com um pouco de atenção e cuidado podemos construir esse ambiente.

Por fim compartilho com vocês as sugestões que nós da LGBTricolor enviamos em parceria com a Canarinhos Arco-Íris para a CBF e STJD para ajudar no combate a LGBTfobia no Futebol:

*A correção da Recomendação 01/2019 do STJD, publicada em 01 de agosto de 2019, que cita opção sexual ao invés de orientação sexual e identidade de gênero;

Solicitamos que medidas e protocolos sejam adotados afim de garantir a segurança de pessoas LGBTs durante as partidas de futebol nos estádios do Brasil;

*A garantia de revista de mulheres trans por policiais femininas nas entradas dos estádios;

*Respeito ao nome social das pessoas travestis e transexuais nos registros de associados e associadas dos clubes;

*Estímulo para criação de torcidas e movimentos que ajudem a debater a temática de combate à LGBTfobia nos clubes e acolhimento dos que tem surgido no último período;

*A escolha de rodadas dos campeonatos onde todos os times entrem com faixas contendo mensagens de combate à LGBTfobia;

*Exibição de VT de 30 segundos durante o intervalo de jogos, sobre LGBTfobia, seus males e a necessidade de combatê-la;

*Criação de aplicativo para denúncia de casos de homofobia nos estádios;

*Solicitamos ainda reunião com cada ente que recebeu esse ofício para dialogar sobre as medidas a serem adotadas e firmação de compromisso.

Esporte & Movimento
Ona Ruda Silva Cavalcanti
Ona Ruda Silva Cavalcanti Seguir

Nordestino, filho de Odé 🏹 Militante anti-racista ✊🏾 e LGBTQIAP+🏳️‍🌈 Fundador da torcida @lgbtricolor do Bahia 🔵🔴 Midiativista 🎥 Palestrante 🎤 👬🏾🌈🔒

Ler conteúdo completo
Indicados para você