[ editar artigo]

Música para o treino: qual a medida certa?

Música para o treino: qual a medida certa?

Seu atleta é movido à música e não consegue ficar um treino de corrida, pedal, musculação ou qualquer outro sem aquela trilha sonora motivadora? Será mesmo que a música é tão poderosa assim e pode interferir na performance esportiva?

Muitos estudos recentes consolidados já responderam a todas estas perguntas, apontando para alguma influência no rendimento esportivo. Se bem introduzida, no momento e forma adequada pode impulsionar os treinos. O contrário também ocorre, portanto precisamos entender como orientar nossos atletas a utilizar este recurso de maneira positiva em seu dia-a-dia e aproveitar ao máximo a energia positiva que a música proporciona naquele treino longo, solitário e naquelas séries de velocidade, força e tolerância à fadiga.

Seguem abaixo algumas dicas importantes e orientações:

  1. Escolha da playlist correta para cada treino: A escolha da música é fundamental para que o treino seja efetivo. Escolher uma música lenta em uma série de velocidade pode apagar seu rendimento naquela série em ritmo intenso, por exemplo.
  2. Cuidado com a empolgação: Quando escolhida uma música agitada demais, ou aquela que está dentro das top 5 preferidas, é normal acelerar o ritmo ou aumentar o peso levantado, por exemplo, e isto pode geral lesões, ou comprometer a sequência dos treinos.
  3. Deixe uma playlist favorita na manga: Quando bate a desmotivação ou preguiça, aquela playlist favorita pode salvar aquele treino que tinha tudo para ser perdido. A emoção levará você longe e a mente assumirá o controle novamente.
  4. Faça uso adequado dos fones de ouvido: Para os treinos indoor, totalmente liberado. Para os treinos outdoor, muita atenção aos locais movimentados e considerados de alto risco, como avenidas movimentadas, cruzamentos, estradas e parques com grandes aglomerações. Pedalar usando fones de ouvido é totalmente desaconselhado.
  5. Nada de som alto: O som alto pode danificar a audição e tirar a atenção externa, em caso de emergência, mesmo em ambiente interno.
  6. Isolamento do mundo: Mesmo ouvindo aquela música animada, é importante manter a educação, cumprimentando quem está ao redor e aproveitar a troca de experiências, em alguns casos.
  7. Um bom fone de ouvido, de preferência sem fio (wireless): Deve-se evitar aqueles cabos ligados no celular ou mp3 players, que possam atrapalhar os movimentos e, consequentemente, prejudicar os treinos. É importante a escolha de fones específicos para a prática de atividades físicas, resistentes ao suor, que se encaixem bem ao ouvido e sejam leves. Se usar estes fones, não se esqueça de mantê-lo carregado para não ficar na mão naquele momento difícil
  8. Leia o regulamento de cada prova: Muitos eventos proíbem ouvir música e fones de ouvido, por questões de segurança e influência no rendimento.

Foto de Andrea Piacquadio no Pexels

Bora pra cima!

Esporte & Movimento
Rodrigo Lobo
Rodrigo Lobo Seguir

Bacharel em Educação Física EEFE-USP Diretor e treinador da Lobo Assessoria Esportiva Corredor e Triatleta há mais de 20 anos. Palestrante de temas relacionados à saúde, qualidade de vida, corrida de rua e triathlon. CREF: 051186-G/SP

Ler conteúdo completo
Indicados para você