[ editar artigo]

O esporte transforma vidas!

O esporte transforma vidas!

Alguma vez você já se pegou pensando na importância que o esporte tem para as pessoas e o quanto ele é transformador?

Leia também: Dança como treinamento físico?

O mundo atual é muito diverso no que tange às diferentes culturas, personalidades, povos, etnias e interesses. Por conta disso, é comum dentro do contexto social serem encontrados grupos, comunidades de pessoas que pensam de forma comum - sejam elas clãs, famílias, grupos de amigos, ou qualquer outro tipo de grupo social.

Por conta disso, muitas vezes o fato de uma pessoa ter um determinado pensamento, opinião, personalidade, renda, característica física e/ou deficiência, característica fisiológica ou psicológica faz com que ela seja, de certa forma, 'excluída' da sociedade.

A segregação no esporte pode ser exemplificada quando fala-se da menor importância dada ao futebol feminino em detrimento do masculino, do não reconhecimento, discriminação e menor quantidade de contratações de pessoas pertencentes ao grupo LGBTQIA+ em instituições esportivas e também através da exclusão de refugiados da prática esportiva.

Leia também: Nutrição em jogo: perspectivas para o futebol

Você já pensou no fato de que se você colocar uma criança com deficiência na sua aula, pode fazer com que aquilo se torne o objetivo de vida daquele indivíduo? 

A notícia a seguir conta um pouco sobre formas como o esporte pode transformar a vida de pessoas com deficiência:

https://saudebrasil.saude.gov.br/eu-quero-me-exercitar-mais/o-esporte-pode-transformar-a-vida-de-pessoas-com-deficiencia

É notável o fato de que cada vez mais este tema tem uma maior relevância para a sociedade. A quantidade de debates acerca da preocupação sobre a inclusão de grupos minoritários - relacionados à raça, gênero, crenças - vem crescendo.

Empresas de diferentes setores da economia procuram promover processos seletivos voltados para pessoas negras, com deficiência ou com determinada orientação sexual. Os vestibulares voltados para o ensino superior estimulam a criação das chamadas cotas raciais e voltadas para pessoas com baixa renda. Academias, parques, escolas, clubes entre outras instituições voltadas para prática esportiva têm criado ferramentas e meios que promovam a acessibilidade. No contexto do ensino fundamental, por exemplo, escolas promovem atividades que permitem a participação de todos.

Leia também: DESENVOLVIMENTO MOTOR EM TEMPOS DE PANDEMIA

Seja em academias, clubes voltados para iniciação esportiva, instituições de cunho educacional (como escolas infantis e fundamentais) ou em qualquer outro lugar, o profissional de educação física tem um papel fundamental e o poder para mudar essa realidade e transformar a sociedade, pois ele tem a possibilidade de pensar no modelo de aula, quais as atividades, como serão feitas as interações entre alunos, características essas que são determinantes para a inclusão social.

Para isso, procure criar estratégias que favoreçam a inserção e a possibilidade de prática de quaisquer pessoas em uma aula e em um treino. 

Quando o assunto é a inserção de pessoas com deficiência, uma forma de trabalhar  é promover adaptações ao modelo de prática. Como exemplo, podemos pensar em utilizar estímulos sonoros para guiar um aluno durante uma corrida ou caminhada. Uma outra forma é promover uma prática na qual pessoas que não têm deficiência tenham que atuar com vendas, isto é, diante de uma determinada dificuldade que uma pessoa cega apresenta.

Estimule a empatia e o respeito. Diante de pessoas que sofrem preconceitos, seja por orientação sexual, questões culturais ou étnicas e raciais, promova discussões, estimule a criação de atividades que faça com que o aluno se coloque no lugar do outro, crie jogos com recompensas diante de bons comportamentos.

Leia também: O Movimento Charme

No contexto de formação de profissionais de alto rendimento, a inserção desde a iniciação esportiva é fundamental para transformar não só o indivíduo, mas o esporte em si. A sociologia mesmo já diz, que um movimento social pode ser transformador; e promover a inclusão através do esporte, pode transcender a promoção de diferentes pessoas para qualquer outra área.

A experiência é fundamental para a vida do aluno. A realização pessoal transforma o emocional e o psicológico estimula a motivação e a autoestima. O fato de o aluno praticar aquilo que muitas vezes não teve acesso ou oportunidade em outros momentos, transforma a vida dele e faz ele amar aquela atividade. Amar o esporte, que é fundamental para a saúde. A inclusão social é, portanto, fundamental para transformar a saúde e a sociedade.

Esporte & Movimento
Luiz Fernando Fernandes Fortes
Luiz Fernando Fernandes Fortes Seguir

Ler conteúdo completo
Indicados para você