[ editar artigo]

Os desafios do profissional de Educação Física nos tempos de pandemia

Os desafios do profissional de Educação Física nos tempos de pandemia

 

De um ano até aqui a vida mudou. Mudou também a nossa comunicação, a interação, o simples locomover e a nossa forma de trabalhar.

Os espaços de lazer e promoção da saúde e qualidade de vida como parques, clubes e academias tiveram suas atividades suspensas, condicionando àqueles que queriam manter algum grau de atividade a recorrem a novos meios com este intuito. 

Alguns para manter a saúde mental e física, outros para amenizar a ansiedade relacionada ao isolamento social. 

No meio disso, o papel do profissional de educação física como fator motivacional na prática de atividade se tornou ainda mais indispensável, obrigando-o a adaptar rapidamente ao novo mundo para exercer sua importante profissão, através da utilização da internet e suas ferramentas, plataformas e métodos de divulgação do seu trabalho.

Parte dos municípios já flexibilizaram o isolamento social e reabriram as academias de ginástica e parques para a prática de atividade física, porém algumas cidades ainda se faz necessário novo lockdown. 

Mesmo com a reabertura do comércio novas normas de distanciamento social, segurança e higiene foram novamente estabelecidas para evitar a contaminação e disseminação do coronavírus. 

A retomada das academias ainda divide opiniões entre aqueles que não aguentam mais fazer exercícios em casa e aqueles que não se sentem seguros de treinar em um ambiente fechado, frequentado por outras pessoas. Nesse cenário, mais uma vez, o fator motivacional dos profissionais de educação física é um grande aliado para a manutenção das atividades. 

Sabemos que nosso corpo possui memória muscular e quando voltamos a nos exercitar, independentemente do local, ele volta mais rapidamente à forma do que nas pessoas que nunca treinaram, porém é necessário ter cautela ao tipo de treino e a intensidade do exercício, pois o isolamento social fez com que muitas pessoas perdessem o ritmo e frequência de treinamento e é preciso adequar a intensidade da atividade para que o corpo volte à condição anterior sem lesões. 

Nesse sentido, torna-se imprescindível a presença do profissional de Educação Física para demonstrar e recomendar estratégias e meios que auxiliem os indivíduos a manterem-se ou tornarem-se fisicamente ativos, com ênfase na autonomia do gerenciamento e tomada de decisões para a saúde dos seus alunos.

 

 

Leonardo Gontijo

Profissional de Educação Física

Personal Trainer

Professor de Ginástica Coletiva

CREF- 015034-G-MG

Tel: (31)98738-2997

 

 

Esporte & Movimento
Leonardo Melo Gontijo
Leonardo Melo Gontijo Seguir

Personal Trainer, Professor de Educação Física Escolar, Professor de Atividades Coletivas. Especialista em atividade física para grupos especiais.

Ler conteúdo completo
Indicados para você