[ editar artigo]

Qual a melhor hora?

Qual a melhor hora?

Sabemos que a prática regular de exercício físico é melhor que prática nenhuma, mas você já se perguntou se existe um período específico do dia que favoreça os benefícios advindos da realização de uma rotina ativa de exercícios? Ou melhor: será que períodos específicos do dia favorecem ou tendem a favorecer determinados ganhos para o nosso corpo de acordo com os nossos objetivos estabelecidos?

Leia também em: Maximizando Resultados: A Lei Da Supercompensação

Bem, como nós mesmos enfrentamos em nosso dia a dia, encontrar um horário/período de tempo no dia para realizarmos exercícios físicos é muitas vezes um desafio por si só – Trabalho, faculdade, afazeres domésticos, tempo pessoal, entre várias outras demandas que ocupam nosso espaço de tempo ao longo de um único dia, são obstáculos, muitas vezes, que se colocam à nossa frente na busca por uma rotina ativa.

Antes de adentrarmos nos benefícios que a prática de exercício físico é capaz de proporcionar de acordo com o período do dia que a mesma é realizada, o fator preponderante para você e seus alunos e alunas definirem em que momento do dia irão se exercitar deve, claro, primeiramente ser a própria rotina, que possibilitará, com base nos espaços de tempo livre ao longo do dia e da semana, os momentos para a sua prática.

Devemos nos atentar também à própria disposição da pessoa ao longo do dia – muitos preferem se exercitar pela manhã, antes de ir trabalhar ou estudar, por exemplo. Enquanto outros preferem realizar sua prática de noite, ao fim do dia, como “último gás” da rotina, se sentindo mais cansado para ir para a cama e dormir. Essas preferências também devem ser levadas em consideração, pois são determinantes para o grau de motivação do aluno durante o exercício e em sua manutenção ao longo dos dias e semanas.

Mas agora entrando no tema da nossa conversa, podemos, sumariamente, dividir os períodos do dia em três: manhã, tarde e noite. Iremos destrinchar a seguir os benefícios advindos da realização dos treinos nestes três momentos do dia, e assim, delimitar quais tipos de treino melhor se adequam para serem realizados em um ou outro período, de acordo com o favorecimento de tais benefícios.

Você sabe qual a melhor hora? Continue lendo!

  • No período da manhã: O cortisol (hormônio do estresse) está naturalmente elevado. Essa substância é catabólica (ou seja, quebra e degrada substâncias), participando do metabolismo de carboidratos, gorduras e proteínas. Ele inibe a produção de insulina, responsável por levar a glicose (açúcar) para dentro das células, para que a substância seja usada como combustível. Isso pode obrigar o organismo a usar mais gordura como fonte de energia no exercício, especialmente em atividades aeróbicas (como corrida, ciclismo e natação).

No entanto, de manhã geralmente as pessoas se encontram com baixa disposição física natural, que está diretamente relacionada não somente à própria vontade da pessoa, mas ao nosso organismo. Os músculos estão frios, tensos, e pouco flexíveis. Assim o nível de força tende a ser menor pela manhã, prejudicando atividades que exigem força e explosão (como musculação e tiros de corrida). Além do mais, o mesmo hormônio citado anteriormente, o cortisol, inibe a produção de testosterona, hormônio importante para a construção muscular e o ganho de força.

Em síntese, num geral a prática de exercício físico pela manhã favorece ganhos relacionados ao condicionamento aeróbio, bem como a perda de peso, e desfavorece os ganhos relativos à condicionamento anaeróbio e ao fortalecimento muscular.

Leia também em: Exercício e COVID-19

  • No período da tarde: Acaba sendo um misto no que se refere tanto sobre as vantagens quanto com as desvantagens. A tarde tende a ser o momento do dia em que o corpo apresenta melhor desempenho físico. O motivo: os músculos já aquecidos e as articulações lubrificadas. A prática de exercício físico não é, desta forma, prejudicada como durante a manhã, você buscando o emagrecimento (o que já é favorável de manhã) ou o fortalecimento muscular. Além disso, você já fez duas grandes refeições e acumulou um bom aporte de energia, o que possibilita manter boa intensidade no exercício e otimizar resultados, sem contar que não estamos desgastados física e mentalmente como no final do dia (de noite).

A grande questão é que nesse momento do dia é praticamente impossível encaixarmos na nossa rotina a prática. Caso seja possível, fique atento(a) tanto à alimentação (se você fizer um almoço muito pesado, pode ficar indisposto e ter problemas digestivos, mas também não deve ir treinar com um intervalo muito grande da refeição anterior, que provavelmente foi o café da manhã, para não passar mal durante o treino por falta de energia) e também ter o cuidado caso a prática seja ao ar livre, pois é o período do dia de mais calor, níveis de poluição geralmente mais altos e a umidade do ar mais baixa, prejudicando assim o desempenho físico durante o treino.

  • No período da noite: Se de manhã se favorece à perda de peso, de noite tende a ser mais vantajoso para quem busca ganho de massa, devido ao nosso metabolismo. Nesse momento, os músculos ainda estão aquecidos e você tem maior nível de força do que pela manhã, o que permite levantar cargas maiores. Além disso, vai iniciar o processo de reconstrução muscular perto da hora de dormir, momento em que o organismo produz hormônios importantes para tal, como a testosterona e o GH. E para além do corte metabólico, para muitas pessoas a prática de exercício físico de noite é uma grande válvula de escape para aliviar a tensão do dia.

Mas assim como de manhã, muitos não estão com disposição física para a prática de atividade, devido ao nosso próprio corpo, que também está “acordando”, de noite o cansaço mental e físico acumulados ao longo do dia podem atrapalhar sua concentração para malhar e prejudicar sua performance durante o treino, sem contar também que treinando ao final do dia aumentamos naturalmente, até do ponto de vista hormonal, nossa “agitação” (liberamos grande quantidade de adrenalina e noradrenalina), que prejudicam a indução do sono, o que prejudicará, consequentemente, a recuperação muscular. Podemos citar também que é de noite em que muitos outros “compromissos” se apresentam como forma de aliviar o nosso estresse (novelas, filmes, séries, futebol, happy hour, festas, etc), e não sendo disciplinados, a tendência é “furarmos” nossa rotina de treinos, o que é muito mais determinante para os ganhos num geral (a frequência de treinos) do que o período do dia em que os faremos.

Leia também em: Não privem as crianças de uma das coisas mais importantes: brincar

Inúmeros outros fatores, inclusive, são tão e mais determinantes para os ganhos destacados nos parágrafos acima, como a alimentação, os períodos de descanso entre os treinos, o sono, o planejamento dos treinos, que se soma à orientação profissional, etc. Assim, entenda que os prós e contras apresentados não querem dizer que você não vai queimar gordura ao treinar à noite ou deixar de ganhar músculos se malhar de manhã, por exemplo. Apenas que um período tem condições um pouco mais favoráveis para tal objetivo.

Um bom dia, boa tarde e boa noite para todos, e ótimo treino para você e seus alunos, seja no período que for!


Referência:

NAVAS, Daniel. Manhã, tarde e noite: veja prós e contras de treinar em cada período do dia. VivaBem UOL, 2019. Disponível em: <https://www.uol.com.br/vivabem/noticias/redacao/2019/08/27/manha-tarde-e-noite-veja-pros-e-contras-de-treinar-em-cada-periodo-do-dia.htm>. Acesso em: 26 Ago. 2021.

Esporte & Movimento
Mateus Macedo de Araujo
Mateus Macedo de Araujo Seguir

Ler conteúdo completo
Indicados para você