[ editar artigo]

Treinamento de força no futebol: é o ideal?

Treinamento de força no futebol: é o ideal?

Não é segredo para ninguém que o treinamento de força é essencial para atletas de uma forma geral. Mesmo com treinos sem tanta especificidade da modalidade, o ganho de força por si só já pode ser muito benéfico para o desempenho físico deles. Sendo assim, é importante pontuar e esclarecer quais são os mecanismos que promovem uma melhoria no desempenho esportivo a partir do treinamento de força, seja ele geral ou específico.

Leia também: Nutrição em jogo: perspectivas para o futebol

No caso especificamente do futebol, quando se tinha a necessidade de mostrar a importância do treinamento de força para a modalidade, os protocolos tentavam correlacionar o desempenho do sprint com o treinamento proposto. Outros estudos por sua vez buscavam usar o desempenho em saltos verticais e testes de mudança de direção como preditor de desempenho físico.

Um estudo com atletas profissionais buscou avaliar o efeito de 6 semanas de treinamento com back squat e relacionar com o desempenho em sprints. E com isso é elucidada uma variável importante na discussão deste assunto, que é a Taxa de Desenvolvimento de Força (TDF), que nada mais é do que o quão rápido o indivíduo consegue aumentar a produção de força ao longo do tempo. Com isso, os resultados do estudo mostraram que o treinamento de força teve um papel principalmente na melhoria da fase inicial do sprint, nos primeiros 5 metros, na qual a TDF é fundamental para tirar o corpo da inércia.

Outro método de avaliação que analisa o efeito do treinamento de força no futebol é através de saltos verticais. Com base neste tipo de testes, os indícios são de que o treinamento de força pode não ser a melhor estratégia para promover a aptidão física dos atletas especificamente para a modalidade. Isso porque o treinamento de força tem um foco em aumentar a massa muscular e a força máxima, enquanto o teste de salto com contra movimento exige uma produção de força rápida (potência).

Leia também: Core: o que é e qual a sua importância no movimento?

Até mesmo por isso, os estudos que levam em conta este tipo de teste mostram que o treino pliométrico é mais efetivo, justamente por exigir uma produção de força rápida. Apontamentos feitos por especialistas dizem também que os exercícios selecionados influenciam nos resultados e que outro fator que pode não ser tão positivo é a falta de especificidade e transferência dos movimentos para ações do futebol.

Outro aspecto importante a se levar em conta buscando avaliar melhorias no desempenho físico é a mudança de direção. Este fator, que é muito presente na modalidade, esteve presente em diversos estudos e muitos deles não esclarecem totalmente se o treinamento de força é a melhor forma de promover essas melhorias ou não, além dos seus mecanismos para tal. Mas os dados mostram que o treinamento de força com pequeno aumento no desempenho de 1 RM já é capaz de melhorar o desempenho, por exemplo no teste-T de agilidade.

O foco deste texto não é desqualificar o treinamento de força para o futebol, apenas mostrar qual é o seu real papel no condicionamento físico dos atletas. Profissionais que trabalham com a área não podem cometer o engano de achar que apenas o treinamento de força por si só vai preparar o atleta para desempenhar em mais alto nível. A hipertrofia e o aumento de massa muscular devem sim ser um dos objetivos para os atletas, mas a preparação física deve ser muito mais do que isso, desenvolvendo aspectos como a potência e a Taxa de Desenvolvimento de Força.

Além disso, vale a ressalva de que a preparação física do atleta vai muito além da academia. Todos os trabalhos que são feitos em campo também proporcionam estímulos para a evolução física dos atletas, mesmo em sessões com foco tático, por exemplo.

 

Referências:

Silva JR, Nassis GP, Rebelo A. Strength training in soccer with a specific focus on highly trained players. Sports Med Open. 2015;1(1):17. doi: 10.1186/s40798-015-0006-z. Epub 2015 Apr 2. PMID: 26284158; PMCID: PMC5005570.

Pardos-Mainer E, Lozano D, Torrontegui-Duarte M, Cartón-Llorente A, Roso-Moliner A. Effects of Strength vs. Plyometric Training Programs on Vertical Jumping, Linear Sprint and Change of Direction Speed Performance in Female Soccer Players: A Systematic Review and Meta-Analysis. Int J Environ Res Public Health. 2021 Jan 6;18(2):401. doi: 10.3390/ijerph18020401. PMID: 33419178; PMCID: PMC7825561.

Styles, William J., Martyn J. Matthews, and Paul Comfort. "Effects of strength training on squat and sprint performance in soccer players." The Journal of Strength & Conditioning Research 30.6 (2016): 1534-1539.

Esporte & Movimento
João Marcelo Garcez Ribeiro
João Marcelo Garcez Ribeiro Seguir

Ler conteúdo completo
Indicados para você