[ editar artigo]

Treino aeróbio e a relação do exercício com a Covid 19.

Treino aeróbio e a relação do exercício com a  Covid 19.

De antemão, como nós profissionais de educação física sabemos, é importante salientar que o treino aeróbio pode trazer uma série de benefícios à saúde, entre eles o aumento da expectativa de vida através de relações entre os sistemas respiratório, cardiovascular e muscular. Neles são empregados exercícios com movimentos repetitivos e que envolvem grande volume muscular como caminhar, correr, pedalar ou nadar.

LEIA TAMBÉM: VO2max e Outros Determinantes do Desempenho na Corrida

Afinal: treino cardio ou treino aeróbio?

O termo "treino cardio", apesar de ser bastante utilizado para certos tipos de atividade, é muito confundido e utilizado de maneira incorreta. A terminologia correta, conceitualmente falando, é  "treino aeróbio", uma vez que não estamos aumentando a atividade apenas do coração, e sim, além dele, do sistema respiratório e muscular. Sendo ele de alta ou baixa intensidade de acordo com os seus objetivos traçados.

LEIA TAMBÉM: A importância das variáveis de intensidade no trail run

Exercício e Covid 19

Nos tempos que estamos vivendo, em que a Covid 19 tomou conta do mundo inteiro, praticar exercícios físicos são de suma importância, tendo em vista que o impacto é extremamente positivo no sistema imune.


A pessoas devem realizar exercício durante Pandemia?

Sim! Em uma pesquisa realizada pela Associação de Atividade Física, constatou que as pessoas que ficaram mais de 10h/dia sedentárias, tiveram a maior prevalência de sintomas depressivos. Diferente daquelas que fizeram pelo menos mais de 30min de exercício moderado ou 15min de exercício rigoroso, que apresentaram menor prevalência de depressão e ansiedade.

LEIA TAMBÉM: Corrida de rua e treinamento de força (ou potência)?

Observações

  1. Em caso de pacientes que tiveram covid de uma maneira mais grave, não há uma sugestão definitiva de treino para elas, precisarão da reabilitação completa de médicos e fisioterapeutas;
  2. Após a recuperação, depois de aproximadamente 2 a 3 semanas, os atletas deverão voltar aos treinos com exercícios mais leves, como caminhada, ciclismo leve, funcional de baixa intensidade, entre outros;
  3. A partir do dia em que começar os sintomas, deve-se evitar exercícios pelo período de 2 a 3 semanas, até que eles cessem;
  4. O período de reabilitação e o treino que cada atleta fará, dependerá muito da gravidade que o vírus o atingiu, respeitando a individualidade de cada um;
  5. Assintomáticos podem treinar, desde que mantenham as restrições de isolamento estabelecidas e com treinos leves;
  6. Use máscara para treinar, caso vá a uma academia;
  7. A irisina é o hormônio do exercício físico, e causa inúmeros benefícios metabólicos, sendo capaz de diminuir o gene que produz a proteína responsável por levar o novo coronavírus para dentro da célula de gordura do corpo, sem esse transporte o vírus não chega lá;
  8. Lembre-se: recomende que seus alunos se alimentem bem, exercitem-se e descansem. Dessa forma, irá ajudar na melhora do sistema imune. 

 

Esporte & Movimento
Ler conteúdo completo
Indicados para você